Importância do Design para Redes Sociais

Importância do Desig para Redes Sociais

Design para Marcas, Produtos e Serviços

As redes sociais são ambientes completamente visuais, o que faz o design ser um elemento primordial para sua marca se destacar e reter a atenção do seu potencial cliente. Com um bom design você agrega valor a sua marca, antes mesmo de conhecerem a sua empresa.

Ele ajudará a definir a imagem e construir a identidade da sua marca junto aos consumidores, sendo o responsável por fazer com que as pessoas reconheçam sua marca na internet.

Um bom design é muito mais do que um detalhe, é um investimento para sua marca.
Através de uma arte bem feitas, você terá a chance de chamar mais a atenção do seu público.
E consequentemente para o seu conteúdo, seja com uma postagem nas redes sociais o mesmo em uma campanha de anúncios patrocinados na internet.

Quer saber mais sobre como o design pode ajudar a alavancar sua marca e seu negócio?
Ou mesmo gerar mais relevância para seus anúncios de produtos e serviços.
Clique no link contato para falar conosco e solicitar um orçamento!

5 Redes Sociais mais Utilizadas por pequenas empresa

Redes Sociais

Facebook

Permite que você crie uma página para a sua empresa, facilitando a divulgação dos produtos ou serviços através de posts, além de ajudar no atendimento via mensagens. Você pode ainda investir uma graninha e impulsionar seus posts para terem um maior alcance.

Instagram

Hoje é a plataforma mais utilizada para negócios dentre as redes sociais. Traz os mesmos benefícios que o Facebook, mas por ser uma rede social com foco maior em imagens e vídeos, é indicada para empresas que conseguem explorar melhor esses recursos de apelo visual.

WhatsApp

Utilizada principalmente para atendimento, ajuda as empresas a terem mais agilidade no contato com o cliente, facilitando muito a comunicação e sendo um forte aliado na hora das vendas diretas.

Youtube

Bastante utilizada por empresas que fazem vídeos com reviews, processos de criação e até mesmo tutoriais para tirar dúvidas de clientes. A principal vantagem é que um mesmo vídeo pode ser útil por muito tempo e ainda gerar receita para a empresa com seus views.

Twitter

Outra plataforma bastante utilizada para atendimento, mas que também tem grande funcionalidade para o marketing. Por ser uma rede mais descontraída, facilita e muito a produção de conteúdos virais e que podem alavancar o nome da empresa com ações criativas.

 

HISTÓRIA da INTERNET – Meios de Comunicação

História da Internet

História da Internet - Meios de Comunicação

ARPANET

 

O ano de 1969 foi importante do ponto de vista tecnológico. Além de ter sido marcado pela primeira viagem tripulada à Lua, esse ano viu também o nascimento do que veio se tornar uma das maiores revoluções das últimas décadas - a Internet.

Concebida originalmente como um projeto de Departamento de Defesa dos Estados Unidos, a ideia da ARPANET (Advanced Research Projects Agency Network), como era chamada, consistia em permitir a comunicação entre vários computadores dentro de uma mesma rede.

O primeiro teste, realizado em Outubro de 1969, foi a transmissão da palavra LOGIN de um computador localizado em uma laboratório na Universidade da Califórnia (UCLA) para outro situado na Universidade Stanford, no mesmo Estado. Curiosamente, somente as letras iniciais LO foram recebidas.

Na década seguinte, os cientistas Robert Kahn e Vinton Cerf desenvolveram o protocolo TCP/IP, que em 1983 foi adotado pela ARPANET. O protocolo TCP/IP estabeleceu o padrão para o tipo de comunicação que temos até hoje na Web.

A década de 80 também foi marcada pela popularização dos chamados Computadores pessoais (PC), cujo conceito havia sido desenvolvido em 1977 pela dupla Steve Jobs e Steve Wozniak, com o Apple II.

 

 

WORLD WIDE WEB

 

Por fim, no começo da década de 90, ou mais precisamente em 1989, a tecnologia da world wide web, foi concebida e desenvolvida pelo cientista britânico Tim Berners-Lee, que trabalhava com ciência da computação no CERN, laboratório dedicado à pesquisa nuclear na Suíça.

Tim percebeu que um grande problema que afetava o trabalho dos cientistas no CERN, era o fato de que as informações estavam localizadas em computadores diferentes e, algumas vezes, era necessário se aprender um programa diferente em cada um deles.

Foi aí que Tim Berners-Lee escreveu a proposta que ele chamou de Information Management: A Proposal. A ideia era que os computadores do CERN pudessem compartilhar informações sobre seus experimentos em forma de hipertexto.

Mas por mais incrível que pareça, a ideia de Tim não foi aceita pelo seu chefe na época, Mike Sendall, que limitou-se a anotar que o projeto era empolgante, mas era vago.

Sem se desanimar, Tim Berners-Lee desenvolveu no ano seguinte as três linguagens básicas da Web: Html, Http e URL. Além disso, ele ainda desenvolveu o primeiro browser e o primeiro servidor.

Em 1991, pessoas de fora da comunidade científica da CERN foram convidadas a entrar na Web. E nesse momento, Tim se viu diante de uma dilema: ele poderia simplesmente cobrar para as pessoas fazerem parte da sua rede, ou poderia deixá-la livre de royalties ou quaisquer outras permissões.

Para a sorte de todos nós ele escolheu a segunda opção, e em pouco mais de dez anos a World Wide Web iniciou uma grande revolução, que alguns chamam de revolução digital.

Em 1995, Bill Gates da empresa Microsoft, percebendo a revolução que seria a internet aliada à Web, garantiu que todos os seus computadores e softwares fossem adaptados para o novo universo digital que estava em seu início.

Definitivamente, a Microsoft foi a única grande empresa de computação que acompanhou a crescimento da Web desde o princípio, fazendo com que ela pudesse se expandir e popularizar rapidamente.

A pioneira na criação de computadores pessoais, Apple, que teve um certo declínio comercial na década de 90, rapidamente se adaptou e começou a oferecer uma série de produtos digitais no novo século que se iniciou.

Não restam dúvidas de que a Internet veio para ficar. Foram criados novos conceitos até mesmo para definir as crianças nascidas a partir da revolução da Web. os nativos digitais.

Por outro lado, a Internet também trouxe perigos. Os crimes ficaram mais sofisticados e, ao mesmo tempo, os governos e as grandes organizações passaram a investir cada vez mais em segurança cibernética.